30
Mai 10

Quatro em cada dez ciclistas da Volta a Portugal não aplicam protetor solar e 78 por cento treinam nas horas de maior calor. A Associação de Cancro Cutâneo (APCC) alerta os atletas de desporto ao ar livre para os riscos que correm. O fundista Paulo Guerra, por exemplo, abandonou a alta competição quando soube que tinha cancro.

 

A APCC realizou em agosto de 2009 um inquérito aos ciclistas sobre os antecedentes de exposição solar durante a prática do ciclismo. A corrida decorreu de 5 a 16 agosto, num percurso de dez etapas, num total de 1601 quilómetros, e o estudo ocorreu no final da nona etapa.

Dos 102 inquiridos, 64 responderam a 25 questões sobre a hora e o tempo de duração dos treinos e competições, o tipo de proteção que usavam (protetor solar, capacete, vestuário) e a sua história clínica.

Segundo o inquérito, cujos resultados são hoje divulgados, 78 por cento dos participantes realizavam os treinos e competições entre as 11h00 e as 17h00 e 98 por cento das provas e treinos tinham uma duração entre três a cinco horas.

O uso de protetor solar e as queimaduras

O estudo indica que 58 por cento dos ciclistas aplicavam regularmente protetor solar. Destes, 43 por cento aplicavam 30 minutos antes e 40 por cento imediatamente antes. Apenas oito por cento reaplicavam.

A maioria dos ciclistas (72 por cento) usava vestuário que não cobria os braços e antebraços, 87 por cento usavam óculos escuros e 64 por cento contaram que já tinham sofrido queimaduras solares, sendo as mais frequentes na face (sobretudo o nariz), braço e antebraço.

"Verificou-se uma percentagem elevada de história de queimaduras solares, o que implicará um risco acrescido de cancro da pele nestes atletas", alerta a APCC, defendendo a necessidade de fomentar o uso de capacetes com proteção frontal, vestuário que cubra antebraços e braços, protetores solares e óculos escuros.

Horários de competições e treinos

Em declarações à Lusa, o secretário geral da associação alertou para a importância de as competições e treinos serem realizados em horários com menor índice de raios ultravioleta: fazer desporto ao ar livre, sem proteção solar adequada, contribui para o envelhecimento precoce e constitui um risco aumentado de cancro da pele.

"Não estamos contra o desporto. Devemos caminhar, fazer as nossas corridas, mas com boa proteção, a horas adequadas para que não seja mais um fator de risco para a população", disse Osvaldo Correia, aconselhando: "Se a pessoa não pode ter outra hora, procure as sombras ou os parques de jardim, mas sobretudo proteja-se com a roupa e chapéu".

Alerta para o cancro de pele

Para alertar para os riscos do cancro cutâneo, a APCC vai realizar o Dia do Euromelanoma, a 26 de maio.

Nessa altura haverá uma campanha de sensibilização para as crianças que vão, em breve, para férias escolares e campanhas dirigidas aos atletas de desporto ao ar livre, sejam eles amadores ou profissionais.

A APCC estima que surjam este ano em Portugal mais de 10 mil novos casos de cancro da pele e, destes, mais de 1000 serão novos casos de melanoma.

O caso do fundista Paulo Guerra

Quando descobriu que tinha cancro de pele, Paulo Guerra abandonou a alta competição. O fundista internacional dedica-se agora a alertar atletas de desporto ao ar livre para os riscos que correm ao treinar e competir sem proteção.

Ciclistas, atletas de triatlo, atletismo, golfe, ténis, voleibol ou futebol de praia são exemplos de atletas que estão frequentemente expostos ao sol durante várias horas e muitas vezes em horários de risco

Grupo de risco

"Vários estudos confirmam um maior número de queimaduras solares, nestes atletas, tornando-os um grupo de risco acrescido para o cancro da pele", alerta a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC), a propósito do Dia do Euromelanoma, que se assinala a 26 de maio.

Paulo Guerra, 39 anos, foi um desses casos, como contou à agência Lusa: "Eu corri durante 20 anos sem proteção de vestuário, nem protetor", disse o internacional português, natural de Barrancos, que se destacou ao vencer vários campeonatos europeus de corta-mato.

Protecção

Quando chegava o tempo de calor, muitas vezes nem vestia camisola. "Eu sou uma pessoa de pele clara, mas nunca liguei. Não tomava medidas para me proteger", lamenta.

"A falta de informação e pensar que as coisas más só acontecem aos outros" também contribuíram para a falta de cuidados quando treinava e competia.

Mas o aparecimento do cancro de pele foi "100 por cento descuido", conforme faz questão de sublinhar.

O alerta de que tinha um sinal com uma "configuração e cor diferente" nas costas foi dado pela irmã. Como "não tinha qualquer sintoma", Paulo Guerra foi adiando a ida a uma consulta, até que em março de 2009 decidiu ir ao dermatologista e os "piores receios" confirmaram-se.

"Fiz uma extração do sinal para análise e, passados 15 dias, veio o pior resultado: um melanoma maligno do nível três (de um total de quatro)", conta.

Saúde, uma "opção"

Paulo Guerra superou a doença, porque a "progressão do sinal foi lenta", mas decidiu "optar pela saúde" e abandonou o desporto de alta competição, que obrigava a treinos duas vezes por dia e a usar camisolas de alças transparentes.

Atualmente faz desporto de manutenção e adota todos os cuidados para se proteger dos raios ultravioletas.

O "testemunho" ao serviço do próximo

Para alertar outros atletas para os riscos que correm, Paulo Guerra tem contado o seu testemunho: "o mais importante é darmos o nosso exemplo".

"Às vezes as pessoas não ligam muito à teoria, mas se virem um exemplo acabam por mudar o seu comportamento", salienta.

(Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.)

Com Lusa

publicado por maestrinavania às 21:05

comentários recentes
è com tristeza que informo que a sara faleceu no p...
Olá!Sou estudante do mestrado em Psicologia Clínic...
Ola vânia!!!Antes de mais quero-te desejar muitas ...
Párabens Vânia, a tua fé conseguiu ultrapassar tod...
olá parabéns pelo destaque e pelo blog pois nunca ...
Olá Vânia , boa noite. Como isso?É com imenso ...
A tua coragem e a tua Fé são exemplo para todos nó...
Estás de parabéns. Realmente consegues dar imensos...
Passei por cá só para te dizer que mesmo sem te co...
Parabéns amiga. Continua assim uma grande mulher l...
ESTÁS DE PARABÉNS POR ESTE BRILHANTE TRABALHO...SÃ...
olá vânia.este blog está muito engraçado e acho qu...
Tens toda a razão, pensamos sempre que é só aos ou...
Amiga o teu blog ta muito fixe...só uma pessoa com...
Olá amiga! Muitos parabéns. O blog está muito bem ...
pesquisar neste blog
 
mais sobre mim